top of page
  • Foto do escritorAlladin

Peço


Cartaz com os dizeres "Sem Justiça não há paz"
Foto de Zacke Feller (Unsplash) - alterada

Eu só peço

Que quando a morte chegar,

O brilho habitante dos meus olhos,

Não suma com meu corpo,

Mas sim passado pra outros olhares.


Eu só peço

Que quando a morte chegar,

E a fogueira do meu peito apagando,

Que se retire algumas brasas dela,

E que essas brasas acendam outras fogueiras,

Pra que o calor que movia meus pés,

Faça outros caminharem também.


Eu só peço,

Que quando a morte chegar,

E as palavras não saírem mais da boca,

Que se use o oceano dos meus sorrisos,

Pra que as palavras que eu ainda não disse,

Alaguem corações...


Eu só peço

Que quando a morte chegar,

E eu não conseguir mais lutar,

Então o mundo que sonhamos tanto,

Preencha a alma do próximo,

Pois assim viverei nele também...


Trabalhadores do mundo, uni-vos!

 

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

 

Revisão: Pablo Gomes

 

#DiaDoTrabalhador (01 de maio)

17 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2 Post
bottom of page