A Aldeia dos Magos Escondidos

Atualizado: Abr 5


Essa semana os pergaminhos nos brindaram com uma surpresa. O conteúdo se assemelha a textos enciclopédicos que versam sobre as religiões desse mundo fantástico. Sei que glossário são encontrados geralmente no fim de livros, mas acredito que sejam importantes e que a leitura desses verbetes enciclopédicos possa criar projeções relacionadas ao que podemos esperar dos manuscritos vindouros.

Até breve.

Religiões

- Credo Diras Mgir – Antiga Religião praticada em Khaza-an Kall e Khaza-an Lori, antes dos fundadores do Império e simpatizantes de Tulshar Dorun tornarem-na proibida.

Alguns descendentes dos Conquistados (descendentes considerados perdidos na Fé por Tulshar Dorun, habitantes de cidades fora de Harion, o Reino das Cidades Irmãs; e que eram escravizados e obrigados a reforçarem os exércitos de Tulshar Dorun) ainda praticavam – escondidos, obviamente – essa crença. Sempre orientados por um ancião escolhido por eleição direta desde que notório estudioso dos Livros de Marek Lar.

Ao passo que o Credo Diras Mgir tinha uma filosofia mais espiritual, os Livros de Marek Lar davam apenas a direção do encontro do Homem com a Natureza. Eles eram voltados à interação do Homem com o Meio em que vive e por isso a necessidade de criar raízes no lugar de morada; eram ensinamentos mais práticos que teóricos.

Os Conquistados, não eram representativos politicamente ou numerosos a ponto de iniciar uma rebelião religiosa e se firmar como religião oficial do Império, como o Culto a Lutrien Hal fizera anteriormente.


- Os Livros de Marek Lar são a base para o Credo Diras Mgir.

O Credo transforma os ensinamentos práticos dos Livros, voltados mais para o convívio do Homem com o Meio onde vive (Plantar, Colher, conhecer plantas medicinais, etc), em práticas espirituais voltadas para a necessidade de o Homem ser parte do meio e não agente de transformação. Interagindo apenas para subsistência. O Homem passa a ser o Meio e não apenas viver e se sustentar dele. É uma doutrina sobre a união do Homem com a Natureza, consigo mesmo e com o próximo.



-Guilda dos Magos Guardiões de Lutrien Hal (Seguidores do Culto a Lutrien Hal): dissidentes do Credo Diras Mgir que tentam impor suas ideias religiosas e políticas pela força e terror. Manipulando Tulshar Dorun, conseguem dominar as cidades livres e vilarejos ao longo do Deserto, usando uma força demoníaca de mortos animados pela necromancia.


-Culto a Lutrien Hal: Antiga veneração ao necromante Lutrien Hal. Sacerdote que se dizia capaz de, além da comunicação com os mortos, ter poder para animar corpos invocando demônios. Era considerada uma seita sem importância.


- Mal Encarnado - Não se sabe em qual era os Mestres do Culto criaram o Mal Encarnado. O Mal Encarnado era um exército de mortos vivos. Havia lendas, histórias desconexas. Esse verbete carece de mais pesquisas.


- Grimórios - (do francês grimoire) são coleções medievais de feitiços, rituais e encantamentos mágicos invariavelmente atribuídos a fontes clássicas hebraicas ou egípcias. Tais livros contêm correspondências astrológicas, listas de anjos e demônios, orientações sobre como efetuar feitiços ou misturar remédios, conjurar entidades sobrenaturais e da confecção de talismãs. A palavra grimório vem do francês antigo grammaire, da mesma raiz que a palavra gramática. Isto se deve ao fato de, na metade final da Idade Média, gramáticas de latim (livros sobre dicção e sintaxe de latim) serem guardadas em escolas e universidades controladas pela Igreja – e para a maioria iletrada, livros não eclesiásticos eram suspeitos de conter magia. Mas gramática também denota, para letrados e iletrados, um livro de instruções básicas. Uma gramática representa a descrição de uma combinação de símbolos, contendo também a descrição de como combiná-los, de modo a criar frases lógicas. Um grimório, por sua vez, seria a descrição de uma combinação de símbolos mágicos e de como combiná-los de forma apropriada, dentro de um sistema de magia.

19 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo