• Alladin

Bem vindo a nossa geração

Crianças comem lixo,

Das esquinas da rua, verdades sem razão,

Bem-vindo a nossa geração.


Vangloriamos torturadores,

Relativizamos o cruel, atrás de salvação,

Bem-vindo a nossa geração.


O tempo passa nas fekes da Tv,

E passamos tudo como um obediente cão,

Bem vindo a nossa geração.


E os sonhos de mundo melhor,

Jogados em fogueiras virtuais da inquisição,

Bem-vindo a nossa geração.


Quatro mais quatro,

E o país que sofre com câncer no coração,

Bem-vindo a nossa geração.


Cães que latem por guerra,

E o vai fogo consumindo as folhas da nação,

Bem-vindo a nossa geração.


A doença vedada no véu de Julieta,

Coloca mis Romeus em covas naquela direção,

Bem-vindo a nossa geração.


E gerando o mal ingerível,

Os contos de fadas caíram na lava do vulcão,

Mas que porra é essa de geração?

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

34 visualizações1 comentário
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.