Bem vindo a nossa geração

Crianças comem lixo,

Das esquinas da rua, verdades sem razão,

Bem-vindo a nossa geração.


Vangloriamos torturadores,

Relativizamos o cruel, atrás de salvação,

Bem-vindo a nossa geração.


O tempo passa nas fekes da Tv,

E passamos tudo como um obediente cão,

Bem vindo a nossa geração.


E os sonhos de mundo melhor,

Jogados em fogueiras virtuais da inquisição,

Bem-vindo a nossa geração.


Quatro mais quatro,

E o país que sofre com câncer no coração,

Bem-vindo a nossa geração.


Cães que latem por guerra,

E o vai fogo consumindo as folhas da nação,

Bem-vindo a nossa geração.


A doença vedada no véu de Julieta,

Coloca mis Romeus em covas naquela direção,

Bem-vindo a nossa geração.


E gerando o mal ingerível,

Os contos de fadas caíram na lava do vulcão,

Mas que porra é essa de geração?

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

34 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Certas canções

Certas canções... Que trazem harmonia pro ritmo desafinado do íntimo, desafinado pelos gritos do descompasso que as ansiedades presenteiam... Não apenas ouça, Escute música, Enriquece demais a trilha

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.