Fênix

Atualizado: Abr 6


Foto de Rodnae Productions (Pexels)

Aos quatro cantos do mundo, proclamei a vontade de estar ao seu lado,

E mesmo que algumas coisas tenham dado errado,

Persisti em te sentir

Em todos os momentos ansiei por seus abraços,

Mas, por procurá-los em braços errados,

Os corpos que me acolheram não foram tão calorosos assim

Onde estaria você?

Por que sempre fugia de mim?

Os nossos passos não deveriam ser um?

Ou nada é tão simples,

Enfim...

Se o nosso olhar vislumbra o mesmo horizonte,

Peço-lhe que me diga em que lugar se esconde

Para que eu possa direcionar o meu caminhar

Você se perdeu ou eu me afastei?

Em qual momento, nessa estrada, a bifurcação passou a existir?

Não tínhamos os mesmos sonhos?

Então por que sinto um abandono velado a me atingir?

E agora?

Permaneço aqui ou vou ao encontro do que está por vir?

E quanto à dualidade que tanto me assusta,

Estaria ela próxima do fim?

O aprendizado ao longo da jornada fez-me reencontrar a mim

Foi quando entendi que precisava buscar forças internas antes de tentar ressurgir

Das cinzas de minhas incertezas que, por vezes impediram-me de evoluir

Desde então sigo assim,

Reconstruindo e transmutando para tornar-me a minha melhor versão

Finalmente aprendi a renascer sempre que necessário, e a valorizar cada superação.

Sobre a autora:

Brasileira, paulistana e formada em Letras - Tradução desde 2018, Karla Gama sempre amou escrever, porém, nunca teve coragem para expor os seus escritos por não julgá-los bons o suficiente. Até chegar o momento em que decidiu mudar de atitude e, principalmente, de pensamento: passou a acompanhar escritores experientes em busca de aprimoramento, e a publicar os seus escritos.


Revisão: Tatiana Iegoroff

36 visualizações6 comentários

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.