Pele cortada com lâmina de apontador

ESCLARECIMENTO DE INTENÇÕES DO AUTOR: Este conto tenta lançar luz sobre uma realidade sombria que muitos não conhecem ou fingem não conhecer. Dessa realidade faz parte a exaltação do suicídio, já que muitos adolescentes, junto às crises existenciais que os lançam na mais profunda angústia, também podem sentir um fascínio pela própria morte, que se lhes apresenta como única solução para o fim do pesadelo que é a vida. Mas, na maior parte dos casos, antes da consumação do autoaniquilamento, essas pessoas pedem socorro, mesmo que inconscientemente. Esse grito pode ocorrer através da automutilação, por exemplo, que pode ser constatada em muito mais situações além de cortes no braço. Outro aspecto é a clássica valorização da vida somente quando ela não mais existe. Se a empatia não for tão seletiva, se o ato de se importar com o outro (inclusive com os não bonitos e populares) for mais praticado no dia a dia, é possível evitar vários fins trágicos. Espera-se que a constatação de impotência sobre os casos que ocorrem neste conto inspire os leitores a procurarem ajudar os casos da vida real, enquanto ainda é tempo.

Quer ler mais?

Inscreva-se em www.literaturaerrante.com.br para continuar lendo esse post exclusivo.

Assine Agora
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.