top of page

Útero de ferro

O asfalto está quente, ele está sob um semáforo, e sobre um "palco" de asfalto, no seu rosto, uma pintura de palhaço.

Sua plateia assiste suas piruetas enquanto o sinal não abre.

Seu "público" está em seus carros novos com vidros fechados. Parece até um útero de ferro, aconchegante, reluzente e refrigerado, mas não tão gelado quanto os corações que batem lá.

Mulheres e homens de pedra se impacientam com sinal ainda fechado!

Mas fazem de conta que só tem aquela luz menstruada que os retém...

Essa pintura no rosto deveria representar alegria e não o desconforto da miséria que o jogou nesse momento. Ter ao menos uma refeição por dia é um luxo, Enquanto alguns jogam comida na avenida… Eles são forçados a olhar pra frente, pra esse "inconveniente" que faz malabarismos pra sobreviver. Quem liga? Difícil encontrar essa tal de humanidade nesse mundo "humanizado"!

L.A.Sena, janeiro de 2019

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2 Post
bottom of page