Amar


Retrato de uma abelha diante de flores
Foto de Natalie Thornley (Unsplash)

De olhos fechados,

Braços, peitos abertos.


Liberdade

Floresce os desertos da alma.

E a calma enche meus rios,

E o medo dos passos nas areias do tempo,

Não dava mais seus calafrios.


O ar era de poesia...

Fantasia... O menino guerreiro,

Cangaceiro contra o dragão da maldade,

Igualdade... Da luz do lampião,

Jovem respira pelo coração,

E como respira...


Meu amor,

Agarre em minhas asas,

Segure minha mão e não solte nunca.

É que mesmo fechando os olhos,

O amor me levará ao ponto certo,

Ao certo, eu não sei que caminho é esse,

Mas sei amar você, minha liberdade,

Irei chegar...

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

Revisão: Pamela G. Augusto

19 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Silêncio

A Palavra