Bem-me-quer / Mal-me-quer

Mal-me-quer

Aquele que acha

Que por que sou mulher

Só devo fazer

O que ele quiser.

Mal-me-quer

Aquele que rasga

A minha roupa

E não posso usar

O que me convier.

Mal-me-quer

Aquele que jogou

Minha maquiagem no lixo

E plantou olheiras

No meu rosto bonito

E na minha alegria deu um sumiço.

Mal-me-quer

Aquele que deixou hematomas

No meu corpo de mulher

E me fez pensar

Que eu não sou boa

Para trabalhar

E em casa presa

Devo ficar.

Mal-me-quer

Aquele que diz

Que o meu sexo

Não é bom

Para o satisfazer

E se regozija

Ao me ver

Sofrer.

Mal-me-quer

Aquele que mudou

O meu destino

Me maltratou

Me humilhou

Esqueceu-se

Do que é amor e carinho.

Mal-me-quer

Aquele que parecia diferente

Que entre caixas de bombom

E flores

Me enganou

Com falsos amores.

Mal-me-quer

Aquele que achou

Que era meu dono

E me deixou num completo

Abandono

Numa noite fria

A lágrima escorria

E foi ali que decidi

Tocar minha vida pra frente

Arrumei minhas coisas

E fui encarar algo diferente.

Mal-me-quer

Nunca mais vi

Lutei e consegui

Me fazer de novo sorrir

Sofrimento jamais

Amor próprio resgatei

E recuperei a paz

Não vale a pena desfalecer

E morrer sem ver

Que o bem-me-quer

Está dentro de você.

56 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Decisões

E quando decidimos mergulhar a cabeça na areia pra ver tudo cor de rosa? Tantas desculpas pra não assumir seu roteiro, Desculpas que se pode até engolir sem farinha não faltam, que grande decisão! Dev

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.