Colorir mais o teu dia

Atualizado: Set 9

Escarlate o céu, põe-se o sol para dormir,

Leva consigo pardos pombos e pardais,

Fico rubro ao reler o meu poema: me expus em demasia!

Um suor frio, incolor, me toma as mãos, mas não paro de sonhar.


Vejo-me a dar-te as nuvens cor-de-rosa da alvorada,

Como desse flores, belas, delicadas rosas, suspensas no crepúsculo,

E rubras ver também tuas faces, na tua alegria transparente,

Ver teu sorriso, teu olhar cair em mim condescendente.


Mas meus versos tão indiscretos não terminariam por assustá-la?

Não. Vêm a amainar, tuas palavras, a neblina da incerteza,

E sou agora de uma esperança verde como um mar translúcido,

Se, não vendo o futuro, vejo aproximar-se a sua luz.


Então explode dentro de mim uma bomba de mil cores,

Invade-me euforia tal de mil sabores,

Aquela mesma, penso eu, que ao ver em ti deu no poema

Cujo sucesso faço hoje ser meu tema.


Quero compartilhar contigo minha alegria,

Contagiar-te, colorir mais o teu dia;

E quero mais, quero com meu mais doce beijo

Retribuir o seu que tanto ainda desejo!



Pablo Gomes, julho de 2007

15 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Decisões

E quando decidimos mergulhar a cabeça na areia pra ver tudo cor de rosa? Tantas desculpas pra não assumir seu roteiro, Desculpas que se pode até engolir sem farinha não faltam, que grande decisão! Dev

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.