Ei! Desculpa

Atualizado: Jan 25

Ei! Desculpa,

Mas se não beijar tua boca,

Agora, nesse exato momento,

Irei perder a melhor parte do dia.


Perderei tudo,

A noção, a razão, o tempo de viver!


As horas passam tão rápido,

E nós aqui, um olhado pro outro,

Sem ter o que falar... E agora?

Não diz nada! Se tu não diz,

Então me beija, se não me beija,

Então o que fazer?


Nas noites delírio tanto teu corpo,

Sim! Eu fico viajando,

Imaginando teu corpo grudado no meu,

O teu cheiro no meu suor...

Mas não acontece nada! Nada, nada,

Estamos sozinhos.


Eu te olho com a sede de te beber,

Você me vê, mais não diz,

Oque você quer de mim? Fala!

Corta esse silêncio,

E não tirar minha roupa com os olhos,

Esses mesmos olhos,

Que mais tarde,

Ou mais cedo dirá adeus...

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

26 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sobre

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.