top of page

Mulher-lua

Sou noturna, mulher-lua, filha do oriente

Nasci em outubro, ao findar de um poente

Fiz na areia o meu sanctum celestial,

Cristal violeta posto num pedestal

Sou praia à noite, luz azul, lua cheia

Sou praia à tarde, céu lilás e lua vermelha

Às vezes cigana, às vezes índia, uma vez sereia

Carrego raízes de mulheres fortes

Um sussurro me diz sobre o amanhã

Não temo tempestades, sou moça e anciã

Notívaga, vagante pela madrugada

Meus olhos-esmeraldas são janelas

Que se abrem para a estrada

Sou noturna, mulher-lua, filha do oriente

Sou praia à noite, luz azul, lua cheia

Sou um corpo no mundo

Uma estrela que nasce

Uma aurora

Um grão de areia

93 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


Parabéns, sempre bom, não apenas ver, mas ler as expressões do nosso EU. Parabéns...

Like

Daniela Camilo
Daniela Camilo
Aug 28, 2020

Sensacional!! Parabéns.

Like

Simplesmente impactante, conterrânea. Lendo seu poema, vi-me em Tambaba, na praia dos nudistas. Fiquei hospedada em Cidade do Conde. Em minha lua de mel (há trocentos anos) ficamos no hotel Tambaú, lindo tinha sido recém-inaugurado. Cresci e me eduquei em São Paulo, mas sempre que posso, dou um pulo em alguma capital do nordeste. Fevereiro, já reservamos hotel em Maceió.

Like
Post: Blog2 Post
bottom of page