Mulher-lua

Sou noturna, mulher-lua, filha do oriente

Nasci em outubro, ao findar de um poente

Fiz na areia o meu sanctum celestial,

Cristal violeta posto num pedestal

Sou praia à noite, luz azul, lua cheia

Sou praia à tarde, céu lilás e lua vermelha

Às vezes cigana, às vezes índia, uma vez sereia

Carrego raízes de mulheres fortes

Um sussurro me diz sobre o amanhã

Não temo tempestades, sou moça e anciã

Notívaga, vagante pela madrugada

Meus olhos-esmeraldas são janelas

Que se abrem para a estrada

Sou noturna, mulher-lua, filha do oriente

Sou praia à noite, luz azul, lua cheia

Sou um corpo no mundo

Uma estrela que nasce

Uma aurora

Um grão de areia

91 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Certas canções

Certas canções... Que trazem harmonia pro ritmo desafinado do íntimo, desafinado pelos gritos do descompasso que as ansiedades presenteiam... Não apenas ouça, Escute música, Enriquece demais a trilha

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.