Mulheres Maravilhas


Nos escombros da poeira, ela se levantou.

Com a força de uma guerreia seu destino, ela mudou.

E com superpoderes, toda vida lutou,

Mudou sua sorte, e a todos... Ela calou!


Nascida da balança, flutua pelo ar

Nem menina, nem mulher,

A leoa se faz pelo olhar!

Rasga, luta e falha, mas encara o que der.


Do seu jardim regado brotou um fruto tão belo,

Maria cuida desse milagre tão singelo

Com garras afiadas defende sua cria.

Aparecida vai à caça, não há noite nem há dia.

Com seus poderes, transforma-se em três, chefe, mãe e pai,

Todos de uma só vez!


Essas são as mulheres maravilhas

Corpos de guerreiras, doçura de meninas.

Foi observando minhas rainhas

Que vi que as mulheres, são nossas heroínas.

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.


Revisão: Jázino Soares

32 visualizações9 comentários

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.