No mar das palavras

Lá fora faz sol

Mas dentro de mim

Chove, só chove

Abro a janela

Entra por ela

Um raio de luz

Que vai aquecendo

A escuridão dissipando

Dispo-me das vestes

Que me prendiam

Na cama, na inércia

Visto-me da poesia

Nela viajo

Com ela reajo

E se os olhos

Marejam

Vejo mar

Mar de palavras

Navego, navego.


Sobre a Autora:

Zenilda Ribeiro da Silva, natural de Coremas-PB, residente em Sousa-PB, Graduada em Letras pela UFPB, Mestre em Letras pela UFCG. Professora de Língua Portuguesa e Literatura da Educação Básica na Paraíba e escritora. Autora de três livros: Crônicas de quem ama ensinar e adora aprender e Poesia na Pandemia: poemas para inspirar, denunciar e motivar (Clube de Autores e Amazon) e Florescendo em prosa e versos (Editora Dialética) Vem fazendo da escrita literária uma atividade terapêutica nesse momento de Pandemia.

Posts recentes

Ver tudo

A vida é partir

A vida é partir Não a morte A vida Partimos do útero para a luz do mundo Do seio para o prato Do engatinhar para o equilíbrio Partimos do primeiro choro A vida é partir Parte de nós parte, com quem pa

Certas canções

Certas canções... Que trazem harmonia pro ritmo desafinado do íntimo, desafinado pelos gritos do descompasso que as ansiedades presenteiam... Não apenas ouça, Escute música, Enriquece demais a trilha

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.