O Pavio

O pavio

que desce a rua

desce a veia

o lodo e o fogo.

O pavio

que a palavra desce

ascende a rua,

apaga o todo.

Teu rosto,

tosco

exemplar da ferida

que o pavio semeia,

na alheia luz

da treva

do nosso fogo,

de lado a lado,

como o lodo,

espalha a queda.

Se te dou a lua,

que o fogo apaga

a cada esquina,

te dou o pavio

que caduca

um verso,

e cada nuca

insinua negra

um fogo-corte

e chama

a fuga.

47 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Certas canções

Certas canções... Que trazem harmonia pro ritmo desafinado do íntimo, desafinado pelos gritos do descompasso que as ansiedades presenteiam... Não apenas ouça, Escute música, Enriquece demais a trilha

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.