O Pavio

O pavio

que desce a rua

desce a veia

o lodo e o fogo.

O pavio

que a palavra desce

ascende a rua,

apaga o todo.

Teu rosto,

tosco

exemplar da ferida

que o pavio semeia,

na alheia luz

da treva

do nosso fogo,

de lado a lado,

como o lodo,

espalha a queda.

Se te dou a lua,

que o fogo apaga

a cada esquina,

te dou o pavio

que caduca

um verso,

e cada nuca

insinua negra

um fogo-corte

e chama

a fuga.

48 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Na Caverna

 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.