Por que essa gente ainda não mudou

Quantas flores são suficientes

Pra mudar toda essa gente?

Pra mudar o nosso viver?


Espinhos iguais em flores diferentes

Chega até a ser surpreendente

Nossos erros são tão fáceis de entender


Me pergunto o que há com essa gente

Que não deixa o mundo diferente

Só violência, guerra, caos e dor


O problema sempre está na mente

E no coração da gente

Desaprendemos o que significa o amor


Por isso a violência vai reinar

E a maldade não vai acabar

Porque a gente ainda não mudou.

Sobre o Autor:

Clenisson Ruan dos Santos Vieira, mais conhecido por Ruan Vieira, nasceu em Aracaju e mora em Propriá, município de Sergipe. Tem 19 anos e escreve desde os 5 anos. Além de escrever poesias, também compõe e escreve contos. Participou de dois concursos de Poesia, tendo alcançado o 3° lugar e levado um troféu para casa no primeiro, e no segundo concurso, um evento comemorativo em homenagem aos 300 anos da Paróquia da cidade, ficou em 1° lugar. Sempre presente em sua vida, leitura e escrita é um talento cultivado em família, o seu pai também escrevia na juventude. Porém Ruan, pretende continuar escrevendo até envelhecer.

31 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Silêncio

A Palavra