Quando te vejo


Quando te vejo...

As cores da esperança me

Olham de volta, me traz

um estilo de aconchego...

Já procurei por isso, não nego, mas não esperava descobrir esse presente em você...

Sentir a leveza que adorna teu jeito ingênuo e sábio como dois lados na mesma moeda...

Você me apresentou a sensação de não ter mais que carregar esse sutiã de chumbo,

uma voz suave que acalma os gritos calados em mim há tanto tempo...

Ter esse coração misturado ao meu,

Refrigera-me no calor da incerteza,

Abraçando-me apertado em noites frias!

Sobre o Autor:

Luiz Rodriguez, com a vida inaugurada em Brasília, estudou  telecomunicações, espanhol e inglês. Começou a rabiscar textos com cerca de 12 anos, comédia a maior parte.

Descobriu na literatura um mundo à parte, com o qual poderia expressar o que transborda da alma. Sempre com uma lupa em escritores experientes.

Revisão: Jázino Soares

31 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.