Sabedoria Ancestral


Foto de uma mulher negra, forte
Foto de Boudhayan Bardhan (Unsplash)

Saudade da vida de antes

Tinha liberdade nas mãos

Eis que chegou o progresso

Urbanização e opressão


Queimaram o povo em pé

Fornecedor de oxigênio

Poluíram nossos rios

Implantaram desunião


Olho as árvores resistentes

Ao lado dos troncos cinzas

Sinto o fogo ainda ardente

Rastejando pelo chão


De tudo o que restou

Não conseguiram nos tirar

A consciência da mãe terra

E sabedoria ancestral


Nesta força sigo firme

Na guerra contra o opressor

O grande espírito orienta

A seguir meu coração


Trago a força do Guerreiro

A presença é minha arma

Tocando meu chocalho

Encontro o meu poder


E quando pego meu tambor

Ouço as batidas do coração

Sinto na terra seu amor

Conto histórias do Curador


Todo índio é Visionário

Traz no fogo sua verdade

No canto a intuição

Contendo a força da decisão


Sigo o caminho do Mestre

O silêncio é meu rezo

Fico aberto aos resultados

Que hora vem e outras vão


Nestas quatro direções

Norte, Sul, Leste, Oeste

Vivo a roda dos ancestrais

E encontro Libertação

Sobre a Autora:

Jussara Helene Martins, Odontóloga, Terapeuta e Escritora, sua alma livre permite permear por áreas tão distintas com leveza e alegria.

Atualmente reside no Litoral Norte de São Paulo, local que muito influenciou em seu posicionamento perante a vida, refletindo profundamente na escrita.


Revisão: Pamela Giovana Augusto

91 visualizações12 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Silêncio

A Palavra