Um pequeno recado


Tem um ditado que a gente sempre ouve:

“A esperança é a última que morre”.

Mas, coitada, como ela sofre!

Quando ela chega, não tem lerdeza

Todo mundo nela se agarra e aperta,

Para que a fuga seja mais incerta.

E ainda assim, a fuga sempre acontece.

Aí, ela vai pra longe, quase desaparece.

Mas tem outro ditado que ninguém esquece

Ou pelo menos, esquecer não deve:

“Quem é vivo, sempre aparece”.

E a esperança há de aparecer,

É nisso que quero e vou crer.



Sobre a Autora:

Luiza Fernandes, estudante de Licenciatura em Português e inglês, uma apaixonada por livros e música. Uma sonhadora de carteirinha, nascida e criada no Rio de Janeiro, deseja poder trabalhar sempre rodeada do que mais ama e ainda compartilhar as muitas histórias que tem para contar.


Revisão: Karla Gama

13 visualizações6 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Silêncio

A Palavra