Enquanto você bebe água


Enquanto você bebe água, toma suco, refrigerante, toma a cachaça roubada da encruzilhada. O mundo segue! Seguindo o trânsito que sobe a ladeira, a beira da porta do cemitério. O mundo segue! Segue o sangue, o mangue, misturado na garrafa de tangue. Manga era o sabor da dor da criança despencada nos andares do racismo, mas o mundo segue!

Segue. E vai seguindo, sabe? Quem vai se importar? O empresário? A dona de casa, que precisa do salário e se reclamar fica sem? Quem? O pastor? Que fica com os dez por cento e renega o resto que cristo falou. Quem? Quem? Quem? Quem? Você? Me diz oque faz sentado na frente do PC? Brigar, xingar, digitar raivinhas no Twitter? Me diz, oque isso vai fazer o mundo parar de seguir o fim que segue? Ein? Responde! Com esse cu na cadeira da ignorância achando que o mundo vai mudar nessas tuas cento e quarenta caracteres. Diz! Oque tu faz? Aplaude comentários humanitários, enquanto o mal refaz a história mudando significados nos dicionários. Ein?

Sério, mesmo, que tu acreditas que o nazismo foi de esquerda? Que o comunista come criancinhas? Ou que existe racismo contra brancos? Em Papai Noel, saci Pererê, em Cinderela. Que a donzela foi estuprada pelo tio, porque queria? Sério, isso?

Ah, velho! Vai se fuder!

Tu acha oque? Acha mesmo que o mundo se resume em empinar pipa na tela do PC? Vê se abre os olhos, saí desse mundo irracional de sonhos. Sonhar é caro sabia? Mas é besteira isso pra você, né? O papai e a mamãe podem pagar.

É de lascar. Eu aqui me fudendo pra sobreviver, e esse filho da puta pode sonhar. Mas mesmo assim o mundo vai seguir.

E tem que seguir mesmo! Quem em sã consciência vai parar o mundo? E principalmente pra ajudar outro alguém. E ainda piora se esse alguém for como eu. Deus? Qual deles? O que está esquartejado nas igrejas irmãs? Ou aqueles deuses que homens de boa fé como você dizem que são demônios e seus seguidores devem morrer? Qual é Deus de Deus? Você aí na frente dessa telinha aí, sabe me dizer? Será que o Deus agora é a net? Que vigia, quando vai atrás da pornografia? Será? Como será o rosto desse Deus? Será que é algum gordo comendo chitos, tomando coca-cola, sentado em uma cadeira, batendo uma quando te ver pela web cam? Será? Vai saber né! Será que Deus sabe que o mundo segue?

É, velho! E agora José? Por que o mundo segue? E você seguindo o rumo do mundo, para o fundo desse abismo profundo, sabe me dizer o porquê? Qual o motivo dessa fluidez broxante, que separa o ser do sentimento, que destrói o momento pela fotografia, que matou o cigarro, o papo no pós-sexo, ein? Qual é? Qual é a razão pra o real perder a vaga pela ilusão? Qual é? onde foi que a vivência perdeu o lugar pra teu achismo? Que acha aquilo, mas esquece que o quilo do feijão está caro? Ein? Você aí, por que não levanta esse rabo da cadeira e vai ser algo útil na vida? Não vai?

Então… assim… vai a merda!

Sobre o Autor:

Pernambucano, ator, produtor cultural e escritor, Luiz Alladin escreve versos desde a infância, influenciado pela família, mas entrou de cabeça mesmo na literatura quando largou a faculdade de ciências contábeis e começou a frequentar os saraus. Hoje ele se dedica em escrever seus textos e a produzir eventos culturais na região onde vive, no interior de Pernambuco, preservando espaços de cultura de resistência.

47 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Tumblr

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.