Somos todos iguais

Segundo a constituição brasileira, somos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. A Carta Magna também garante aos residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Teoria bonita, se a prática não fosse tão diferente e tão distante do que realmente deveria acontecer.


O homem é extremamente diferente em suas individualidades, mas precisa viver em sociedade. A primeira sociedade, sua família, onde forma seus primeiros pensamentos, depois o colégio e assim para outros meios sociais, como amigos, famílias de outras pessoas, colegas de trabalho, não paramos de nos relacionar. É nesses ciclos sociais que encontramos diferenciações. Cada indivíduo sente-se mais à vontade com determinadas pessoas, pois todas são diferentes.


Há séculos a cor da pele é sinônimo de condenação, assim como o gênero. Lidar com a diferença sempre é difícil e isso continua. Por isso um artigo inteiro na constituição foi criado para assegurar que pessoas, sem distinção de absolutamente nada, é igual perante a lei. Com o passar dos anos, o artigo é atualizado, com novos direitos, que devem ser incluídos para que a vida em sociedade se torne mais pacata e tolerável.

11 visualizações1 comentário
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2020, Literatura Errante®, por Instituto dos Artistas Errantes.