Um bilhete para Cristine


Foto da Praia das Goiabeiras
Praia do Iguape, cidade de Aquiraz-CE

Hoje, coloquei-me a escrever para uma das mulheres mais importantes da minha vida. Alguém que marcou época e invadiu meu ainda jovem coração de dezenove anos sem pedir licença ou bater-lhe à porta.

Mesmo após mais de três décadas, lembro-me com absoluta nitidez daquela tarde-noite de sábado de Carnaval, quando ela surgiu do nada a bordo de pernas impecáveis, sorriso cheio de mistérios e um cheiro de mar inconfundível. Confesso, não sei até hoje de onde encontrei coragem para largar a barraca de camping que eu estava a armar na praia e ir em busca dela para saber seu nome, de onde ela vinha e para onde estava indo feito uma sereia do oriente dos mares do Sul.

A conversa foi rápida. Não mais que cinco minutos. Cinco minutos tão arrebatadores que de tal forma percebi: Nunca mais esqueceria aquela menina loira que viria a se transformar no meu Romance de Carnaval. Dito e feito! Aquele fevereiro de 1984 entrou para a história de minha vida, ou, como ela também afirma, das nossas vidas. Foram quatro dias de “chuva, suor e cerveja”, entre beijos, carinhos e declarações juvenis. Sim! Em 96 horas aquela criatura tinha tomado conta de todo o meu ser: do Coração até a Alma. De uma forma tão intensa, tão cristalina e tão pura, que o pranto por nós derramado na quarta-feira de cinzas foi absolutamente inevitável.

O tempo, esse inexorável, indelével, cruel e nada amigo senhor do Destino se encarregou de nos unir e nos afastar por inúmeras vezes ao longo de nossas existências. Unificamos nossos corpos e almas em uma só carne e declarações sinceras de Amor eterno por tantas oportunidades que, sinceramente, perdi a conta até de em quantas ocasiões nossas bocas tocaram-se entre línguas, lágrimas e gozos.

Se agora escrevo abertamente para aquela menina que hoje tornou-se uma mulher resoluta e decidida ante os desafios impostos pela Vida, é porque minha admiração e Amor por ela só se multiplicaram. Às vezes passamos meses sem sequer trocarmos um bom dia. Em outras ocasiões nos damos o prazer de ficarmos horas ao telefone entre risos a recordar o passado, comentando o presente e planejando o futuro.

Se eu ainda a amo? SIM! Categoricamente SIM! Como deixar de amar uma guerreira? Como deixar de admirar uma menina-mulher que construiu a sua vida com o suor de seu rosto? Como deixar de amar quem você nunca deixou de amar?

Já passei e flanei por várias religiões, doutrinas, crenças e corpos femininos. E, de cátedra, posso afirmar: cruzar com Cristine há mais de três décadas e meia não foi um mero acaso. Foi um designo Divino. “Nós fomos feitos um pr’o o outro, pode crêr”..., com absoluta certeza. Certamente, não nessa existência terrena, pois nossos caminhos já não são mais os mesmos e em definitivo não terminaremos nossos dias juntos, como dantes planejamos em noites de Lua cheia entre vinhos, violões, sussurros e fogueiras noturnas à beira mar. Mas Deus e as estrelas hão de conspirar para que em uma nova reencarnação a Felicidade nos bata à porta e seja plena a nós dois. São os desejos meus às próximas existências minhas e de meu Eterno Romance!

Sobre o Autor:

Túlio Monteiro – Escritor, biógrafo, historiador e crítico literário. Graduado em Letras pela Universidade Federal do Ceará – UFC. Grau de Especialização em Literatura e Investigação Literária, também pela Universidade Federal do Ceará – UFC, com a monografia: Intertextualidade e Fluxo da Consciência na Obra de Graciliano Ramos.

Membro efetivo da Academia Internacional de Literatura Brasileira - AILB - Cadeira de número 246 - Com sede em Nova York - Estados Unidos da América.

Autor dos livros

Agosto em Plenilúnio – Poesias – 1995 – Imprensa Universitária da Universidade Federal do Ceará.

Lopes Filho e a Padaria Espiritual – 2000 – Biografia – Coleção Terra Bárbara – Edições Demócrito Rocha – Jornal O Povo.

Sinhá D'Amora, Primeira-Dama das Artes Plásticas do Brasil – Biografia – 2002 – Coleção Terra Bárbara – Edições Demócrito Rocha – Jornal O Povo.

Antologia de Contos Cearenses – 2004 – Organizador – Coleção Terra da Luz – Imprensa Universitária da Universidade Federal do Ceará – UFC, em parceria com a Fundação de Esportes, Cultura e Turismo de Fortaleza – FUNCET – Prefeitura Municipal de Fortaleza – Ceará.

Dois dedos de prosa com Graciliano Ramos – Contos – 2006 – Coleção Literatura Hoje – Imprensa Universitária da Universidade Federal do Ceará – UFC.

Sonhos e Vitórias - A História de João Gonçalves Primo – Biografia – 2007 – Em parceria com o Poeta, Escritor, Historiador e Biógrafo Juarez Leitão – Premius Editora.

Cajueiro Botador – Infanto-Juvenil – 2008 – Coleção Paic – Secretaria de Educação do do Estado do Ceará – SEDUC – Governo do Estado do Ceará.

Assessoria Técnica do Texto Original

24º Cine Ceará – Prêmio de Melhor Produção Cearense para o curta-metragem "Joaquim Bralhador", adaptação do conto do livro "Joaquinho Gato", do escritor Juarez Barroso – Dirigido pelo cineasta Márcio Câmara – 2014.

58 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo